Lamparina-de-Mesquita.-Aleppo-Siria-1300–1340.

Uma exposição no British Museum mostra que as crenças em seres espirituais e mundos além da natureza são características de todas as sociedades humanas há 40 mil anos. Ao analisar a forma como as pessoas acreditam através de objetos de fé comuns, esta exposição fornece uma perspectiva sobre o que torna a crença como uma parte vital do comportamento humano.


Tecido pintado (thangka) com a roda da vida. Tibet, século XIX.

Ver como as pessoas acreditam, ao invés de considerar o que eles acreditam, sugere que os seres humanos possam estar naturalmente inclinados a acreditar em mundos e seres transcendentes. Histórias, objetos, imagens, orações, meditação e rituais podem fornecer maneiras para as pessoas lidarem com as ansiedades sobre o mundo e ajudar a formar fortes laços sociais. Isso, por sua vez, ajuda a tornar nossas vidas bem ordenadas e compreensíveis.

Figura de Ibeji. Yoruba. Nigéria, provavelmente no início do século XX.

A exposição inclui objetos de crença das sociedades ao redor do mundo e através do tempo. Começa com uma notável escultura de marfim de 40 mil anos, conhecida como o Homem do Leão. Representando a parte superior um leão e na metade inferior de um homem, é a imagem mais antiga conhecida de um ser que não existe na natureza. É a primeira evidência que temos de crenças e práticas, e mostra a capacidade única dos humanos de comunicar o que está em nossas mentes através dos objetos.

O Homem Leão. Encontrada na caverna Stadel, em Baden-Württemberg, Alemanha, 40.000 anos.

Diferentes áreas da mostra olham para temas-chave de crença. O significado da luz, da água, do fogo e da energia é revelado, ligado à ideia de que a experiência religiosa é governada por nossos sentidos. Os objetos refletem a forma como as pessoas se conectam ao mundo espiritual através do ambiente natural ou em espaços especialmente construídos. Outros objetos mostram o poder da oração, a importância dos festivais e da peregrinação, e a marcos das experiências-chave da vida – nascimento, crescimento, casamento e morte. A longa história de conflito e convivência entre diferentes religiões e crenças também é explorada.

Quadro de avisos de recompensa por informações contra os cristãos. Tinta em painel de madeira. Japão,1682.

Juntos, os objetos na exposição oferecem uma nova perspectiva sobre práticas de crença e como elas são extremamente importantes para as sociedades, bem como ao homem como indivíduo.


Modelo de madeira de carruagem para procissão de divindades. Índia, século XVIII.

A exposição faz parte do quarto projeto colaborativo entre o British Museum, a BBC e Penguin Books. Quem tiver a oportunidade de visitar Londres pode conferir a mostra que permanece em exibição  até o dia 8 de abril de 2018.

Modelo da Igreja do Santo Sepulcro, 1750.

Exposição: Living With Gods
British Museum
Great Russell St, Bloomsbury, Londres
Horário: 10h as 17h30
Entrada franca

Ronaldo Cooper
Nasceu em Porto Alegre, é jornalista, roteirista, fotógrafo e editor do blog VisualZine.
visualzine.blogspot.com.br

 

 

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA