Qualquer viagem ao nosso interior é sempre uma libertação e um enorme passo no autoconhecimento de quem na verdade somos e do que carregamos em nós. Claro que podemos viver sem fazer estas viagens mas muitas energias manter-se-ão fechadas, incompreendidas e não serão superadas.

Aos poucos, de viagem em viagem, estas bolhas de energia bloqueada em nós irão sendo libertas e deixarão de fazer atrair os dramas que lhes pertenciam. A mudança que queremos criar no mundo será sempre de dentro para fora e não o contrário e esta é uma maravilhosa maneira de começar.

Cliente: Gostava de saber (falando num tom vitimizador) porque é que estou rodeada de pessoas secas, brutas, agressivas, egoístas e manipuladoras?? Porque é que já fui roubada e enganada com dinheiros tantas vezes?? Sempre tentei ser o mais correta e paciente possível, nunca fiz mal a ninguém mas tenho cada vez mais desafios e sinto-me cada vez pior. Porque é que estou assim e o que é que eu faço??

Eu: Antes de mais reconhecer que cada uma dessas pessoas veio à sua vida e está a espelhar o que de inconsciente circula ai dentro.

Cliente: Aqui dentro?? mas eu nunca fui assim! acha que eu alguma vez roubei dinheiro a alguém??

Eu: Nunca foi assim aqui na vida presente, mas a lei do karma responsabiliza-nos pelo que fizemos ao longo de toda a nossa existência. E temos que imaginar que nem sempre fomos correctos ou fizemos a coisa certa…

Cliente: ……………… (silêncio). Sinceramente não consigo imaginar alguma vez ter feito mal a alguém!

Eu: Vamos então fazer a regressão para espreitar o que esse imã traz do passado então.
(Resumo a seguir uma longa sessão e todas as perguntas e respostas envolvidas).

Cliente: Estou numa floresta, sou um homem e estou em cima de um cavalo.
Eu: Fala-me da energia e estado de espirito desse homem?
Cliente: É forte, não tem medo de nada, vive em estado de sobrevivência. Não sinto qualquer emoção dentro dele, é como se ele fosse apenas corpo bruto e seco preparado para o ataque e defesa.
Eu: Esse homem vive de quê? como são os dias dele?
Cliente: Faz assaltos, rouba o que pode e quem pode. Hoje foi um bom dia, consegui duas moedas e posso ir beber vinho à taberna.
Eu: Existe alguém especial na vida desse homem? familia, mulher, filhos?
Cliente: Não, ele não se liga a ninguém! só pensa nele, vive para si próprio sempre a enganar quem pode para conseguir mais moedas.
Eu: Vamos espreitar o último dia de vida desse homem e sentir o estado de espirito em que ele deixa essa vida.
Cliente: É ferido e morto numa briga de taberna. Morre sozinho sem ninguém. Coitado viveu e morreu sem qualquer noção de amor (chora).

Foi feito o encontro e a despedida entre a cliente e o homem, onde pôde sentir que lhe cabe agora a responsabilidade dos atos do passado, de encontrar uma vida interior e de descobrir o amor que não conseguiu no passado. Percebeu os dividendos karmicos dos seus roubos do passado nas pessoas que atraiu e se antes sentiu uma repulsa pelas pessoas secas, brutas e agressivas na sua vida, agora sente empatia, perdão e até compaixão.

Cliente: Como eu entendo agora o pobre estado em que vivem as pessoas à minha volta! Estou tão grata de estar finalmente a sentir o que é o amor. A vida de facto nada tem a ver com ser perfeita ou correta como andei a tentar ser até agora mas simplesmente com responsabilidade que temos de amar. Agora já consigo amar verdadeiramente porque agora entendo o que estava escondido! Ufff sinto-me mesmo LIVRE e LEVE! Incrível as coisas que se escondem em nós!!

Curiosidade astrológica: Nodo Sul Carneiro/Áries Casa 8 Saturno Casa 1 Virgem
Grata a todos os que se atrevem e me permitem ser espectadora desta magia!

Vera Luz
Autora e Terapeuta de Regressão e Orientação Espiritual.
Tem vários livros publicados em Portugal, um deles no Brasil e desde 2001 trabalha para relembrar a cada um o propósito por trás dos eventos da vida. Desvendar a história Karmica que cada um carrega, é essencial para uma vida consciente e abundante.
veraluz@veraluz.pt
www.veraluz.pt

 

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA