É muito comum numa roda de amigos surgir aquela pergunta: Qual é o seu signo? A partir daí, a conversa já toma um rumo diferente, alguns acham que o assunto é uma bobagem, outros se empolgam e começam a comentar das suas manias, qualidades e defeitos, características de uma determinada constelação.

Mas, quando alguém faz essa pergunta, qual é o objetivo real? Você já se perguntou?

É para conhecê-lo melhor, saber como lidar com você, entender o que pode lhe agradar? Ou não? E se o intuito dessa pessoa for apenas julgá-lo?

Quantas vezes escuto pessoas rotulando os outros: “Esse aí é de Peixes, muito viajandão, não dá pra aguentar.” “Escorpião? Estou fora! Esse cara é muito possessivo!” Mas será que um geminiano é aquele fofoqueiro que fica no portão falando mal dos vizinhos? Todo sagitariano é mesmo um “vida loka” que não quer saber de nenhum compromisso?

Talvez até você já se pegou julgando os outros sem querer, influenciado por essa chuva de posts e vídeos que pipocam nas redes sociais. Claro que eu já dei risada com muitos deles, mas uma coisa é a brincadeira. A vida real é bem diferente!

Você há de concordar que em um mês nasce muita gente neste mundão de meus Deus! E essas pessoas, embora regidas pelo mesmo signo solar, são todas iguais? Óbvio que não, gente! Se nem gêmeos possuem o mesmo temperamento, quem dirá todos os outros que nasceram naquele período. Não dá para simplesmente “enquadrar” todo mundo.

Quando faço um mapa astral, algumas pessoas me dizem: “Sou libriano, mas não me reconheço nas características desse signo”. “O meu signo é Câncer, mas não gosto de mimimi”. “Não tenho nada a ver com o meu signo”. “Sou virginiano, mas não tenho mania de limpeza, nem sou organizado”. “Nunca consigo me identificar com as características do meu signo”.

E o que eu digo para eles, falo para você também, caro leitor! Somos seres humanos complexos e o nosso mapa natal reflete toda essa complexidade. Cada um de nós é muito mais do que o signo solar! Temos lua, ascendente, mercúrio, vênus, marte… Além de cada um dos planetas, signos e casas, precisamos olhar os aspectos e interpretar todo o conjunto do mapa!

E tudo que está nele se relaciona, é lindo de se ver! O mapa natal traz uma fotografia do céu no momento do nosso nascimento. Ele é único, assim como você! Tudo o que está neste desenho traz indicações de como é a sua personalidade, seus condicionamentos emocionais, suas qualidades, seus desafios, o que você precisa cultivar para evoluir como ser humano.

Vocês entendem a profundidade desse conhecimento?

E mesmo com determinadas tendências astrais, cada pessoa possui uma bagagem e um nível de consciência diferentes, e vai agir conforme o seu livre-arbítrio. Generalizar e colocar todo mundo que nasceu em determinado signo no mesmo “balaio” é muita irresponsabilidade. Dependendo do teor, pode denegrir a imagem da profissão.

A Astrologia é uma ferramenta séria de autoconhecimento, um instrumento para evolução humana, que pode nos trazer um direcionamento para esta existência. Você prefere ver de uma maneira leviana? Ou quer mergulhar neste mundo maravilhoso, conhecendo mais a si mesmo? Deseja desenvolver seus potenciais e ser muito feliz em cada passo desta linda jornada que é estar aqui na Terra?

Viva as dores e delícias de ser quem se é, mas sem rótulos e julgamentos!

Luana Paula de Aquino
Jornalista e editora especializada em espiritualidade e autoconhecimento. Pesquisadora dos temas relacionados à Astrologia, Tarot e Terapias da Casa.
luana.aquino@gmail.com
Instagram: @luanapaquino

 

COMPARTILHAR