Na música, uma nota “oitavada” é estruturalmente a mesma nota, ou seja, mantém a mesma relação proporcional entre o comprimento de suas ondas, mas vibra em uma frequência mais alta. O ouvido humano tem a sensação de ouvir uma nota oitavada de forma mais aguda.

Na astrologia, essa comparação é feita entre os planetas. Júpiter, Urano, Netuno e Plutão são considerados as oitavas superiores de Sol, Mercúrio, Vênus e Marte. Vejam a seguir:

MERCÚRIO – URANO
Mercúrio simboliza as funções humanas de percepção intelectual da realidade, de capacidade de pensamento sobre ela e de transmissão dos diferentes produtos mentais (impressões, conclusões, idéias) aos outros .

Urano simboliza a capacidade de executar as mesmas tarefas num nível transpessoal: o impulso mercurial, de pensamento voltado a particularidades, processos e minúcias, encontra uma finalidade e abrangência maiores ao se transformar em pensamento uraniano, superando então os limites convencionais do mundo material, que para o ego são sempre dependentes das quatro dimensões por ele definidas como largura, altura, comprimento e tempo.

Urano simboliza a capacidade humana de ter flashs de intuição que desafiam abertamente os conceitos tradicionais de espaço e tempo, estando na raiz da percepção intuitiva de existe “algo mais” no universo do que apenas os fenômenos acessíveis aos órgãos sensoriais mais comuns (e seus prolongamentos artificais, como os instrumentos científicos criados pelo ser humano para aumentar a sua capacidade sensorial). Não por outra razão que Urano esteve desde sempre associado à magia, ao estudo do oculto, e à paranormalidade que se manifesta através de efeitos objetivos (telecinesia, ou produção de efeitos físicos à distância, tiptologia, ou produção de ruídos à distância, desmaterialização e rematerialização etc.)

VÊNUS – NETUNO
Vênus simboliza as funções humanas da afetividade. Não somente o amor, mas todas as diversas formas de se expressar afeto no positivo e negativo delas. É o prazer pessoal, o sentir-se bem fisicamente e numa relação com o outro, a expressão de como seduzimos alguém, o que gostamos de fazer, a produtividade e estratégia no se relacionar, o valor da beleza e daquilo que é belo, da arte.

Netuno é o símbolo do impulso humano de valorização afetiva impessoal ou transpessoal, existente em todo psiquismo. Desta forma, receptividade, senso estético, imaginação criativa (o instinto do belo) e afetividade são atributos venusianos que se expandem para limites impessoais em Netuno. É como se a psique, em seus extratos mais profundos, ansiasse por reviver o estado indiferenciado de emoções e sentimentos que ao mesmo tempo caracteriza o início da vida, a fase intra-uterina. Ou para os espiritualistas, a fase espiritual pré-incorporação. Permite ao indivíduo viver tal estado no meio da coletividade como um todo.

Netuno simboliza também as funções psíquicas que permitem ao ser humano a experiência de fenômenos paranormaisde efeito subjacente (telepatia, ou comunicação à distância, precognição, ou conhecimento antecipado de fatos e eventos, premoniçõese etc.). Está relacionado também com as manifestações mais vigorosas de inspiração artística e de devoção espiritual.

MARTE – PLUTÃO
Marte simboliza o impulso para fora, como reage instintivamente nosso instinto de sobrevivência, a idéia-intuição, a chama perene que existe em nós, o sopro da vida, o desejo físico expressado na sexualidade, na busca de fertilizar a terra mãe.

Plutão é tradicionalmente descrito como a oitava superior de Marte e simboliza o impulso totalmente impessoal que reside nas camadas mais profundas do psiquismo humano: um complexo de poder transformador, atávico, indiferenciado e irrevogável. Tanto quanto o era, na mitologia grega, Hades, o deus do mundo subterrâneo (Plutão para os romanos). Basta lembrar que nem Zeus-Júpiter e nem Poisedon-Netuno desafiavam sua palavra.

O poder impessoal de Plutão simboliza aquele impulso necessário para vitalizar a psique como um todo e mantê-la ativa no processo de individuação, isto é, da pessoa poder ser o que realmente ela é, além dos processos de condicionamento a que tenha sido submetida desde a concepção. O risco é o ego ter tal poder impessoal contaminando suas funções pessoais, identificando-se com ele e este julgando-se ser o ‘dono”, “portador”, momento no qual a pessoa enlouquece ou é possuída. Acreditar ter os poderes ali pressentidos e atuar sob o comando de um ego estilhaçado. Atuar como se fosse o herói, o mago, o seguidor, demônio, salvador, a grande vítima, o redentor ou outra imagem arquetípica qualquer, dependendo de qual impulso ou conteúdo transpessoal contaminou seu ego, despersonalizando-se e perdendo a possibilidade de evoluir ordenadamente, ao se deixar ofuscar por este poder ao invés de ser por ele fortalecido.

Plutão também representa a Fênix, o pássaro mitológico egípcio que todos os dias reconstruía seu ninho apenas para vê-lo se consumir pelos raios do sol do dia seguinte. Graças a essa energia infindável residente nas camadas mais profundas e coletivas, a psique individual pode destruir velhas formas para que o ego atue a partir de novas e insuspeitadas possibilidades.

SOL – JÚPITER
Júpiter é considerado a oitava elevada do Sol. Ele representa o Eu superior e o Sol interior; enquanto que o Sol representa o Eu inferior, o ego e a individualidade.

Júpiter é a energia que usamos para expandir, para ir além das fronteiras e para cultivar a abundância. Ele diz como expandimos nossos horizontes, como buscamos a verdade, a sabedoria e o conhecimento elevado. Diz ainda como estabelecemos uma ética na vida.

O setor que Júpiter se localiza em nosso mapa recebe esta energia benevolente e expansiva. Ali ele traz expansão e abundância, mas também pode trazer algum exagero e alguma negligência.

Expansão da personalidade e do espírito, a ordem, a religião, o Eu superior, a justiça, a lei, a legislação, a diplomacia, a recuperação física, representa o nosso Sol interior, rege também o dinheiro, o “jogo de cintura”, a moral, a hierarquia, o exterior, as longas viagens.

É o planeta da expansão dos ideais, dos objetivos e planos, rege a filosofia, a cultura, a religião e as pessoas que estão sempre buscando algo. Governa os assuntos financeiros, o comércio, os empréstimos, a vida cultural, os estudos superiores e a paz.

Marcelo Dalla
Formado em Comunicação pela ECA – USP.
Estuda astrologia há 30 anos e atua profissionalmente como astrólogo no Brasil e em Portugal há 10 anos.
Especializado em Astrologia Cármica, Terapeuta Florais de Bach e Xamanismo. Artista gráfico e criador de mandalas.
Publicou em Portugal os livros MANDALAS MÁGICAS e MANDALAS SIGNOS DO ZODÍACO, ambos pela editora Verso de Kapa.
Mantém uma coluna diária de astrologia no portal ASTROCLICK e coluna semanal no site
www.marcelodalla.com

DEIXE UMA RESPOSTA