As pessoas mais jovens e as mais velhas são as mais felizes. As que estão entre 40 e 50 anos são as menos felizes. Isso foi pesquisado por economistas, em mais de 80 países, e divulgado pela antropóloga Mirian Goldenberg. Essa é o que os pesquisadores chamam de curva da felicidade e tem o formato de um U.

Mirian também estudou o universo das mulheres brasileiras e detectou que a maior parte daquelas que tem entre 40 e 50 se sentem mais insatisfeitas e exaustas. Falta tempo, reconhecimento e liberdade. Os homens confessaram para ela que nada invejam nas mulheres.

Mirian conta, porém, que a boa notícia é que depois dos cinquenta as coisas voltam a melhorar, fazendo a tal curva. Nesse momento, as mulheres confessam que se sentem livres, como nunca na vida e afirmam que a motivação é de que não podem mais desperdiçar o próprio tempo. Só que para isso, tiveram que aprender a dizer não e ligar o botão do dane-se.

Segura essas: segundo ela, 60% das mulheres invejam a capacidade masculina de rir de qualquer bobagem e não riem mais porque tem medo do que os outros vão pensar.

E Mirian pergunta: por que será que demoramos tanto tempo para descobrir uma coisa tão simples, que liberdade rima com felicidade e que rir de nós mesmos é sempre o melhor remédio?

Pois é, as pesquisas são feitas por amostragem, mas refletem o todo. Se você que está lendo pensou na própria vida, lembrou de alguém que está nessa faixa etária ou, literalmente, sentiu a ficha caindo sobre a sua mente… isso é bom sinal! Aprender é isso, tomar posse de algo que não sabia e fazer algo útil com isso.

Pensando alto, reflito entre letras, se não seria possível virar esse jogo antes de chegarmos aos 50 e ao invés de um grande U de curva de felicidade, tivéssemos algo mais equilibrado, parecendo um til (~), onde altos e baixos fossem menos parecidos com uma montanha russa e mais semelhantes às ondas do mar?

Então, que esse texto seja uma seta gigante para quem quer sair urgente da curva e chegar no mar, onde há energia, beleza, equilíbrio e sabedoria.

Carla Brandão
Comunicadora por opção. Jornalista por profissão. Especialista em desenvolvimento humano por vocação. Pensamentos transformadores, evolução e treinamento. Visão divertida sobre automotivação, administração do tempo, melhoria contínua e inovação. Life Coach e Palestrante com foco na transformação da vida em uma fonte de aprendizado e felicidade! Autora do livro #DoeCoragem – Manual Divertido de Viver o Agora.
email: carla@acommunica.com.br

COMPARTILHAR