Continuando nossa viagem pelos lugares e templos sagrados do mundo, encontramos uma das religiões onde o ponto geográfico, cidades, templos e sítios são essenciais em sua fé, o Islamismo.

Imaginem fiéis católicos orando em direção ao Vaticano ou Jerusalém. E se ainda tivessem ainda de obrigação de visitá-las pelo menos uma vez na vida. Isso é o que fazem os muçulmanos de todo o planeta. Cinco vezes ao dia, eles se voltam para Meca para orar.

Na cidade de Meca, está o maior centro de peregrinação e o lugar mais sagrado do Islamismo, a Grande Mesquita Al Haram. Ela é importante porque guarda a Kaaba, edifício que segundo o Alcorão, foi construído por Abraão para os fiéis celebrarem os ritos da Hajj, que significa peregrinação.

Nele é guardada a Pedra Negra, um provável fragmento de meteorito considerado um presente de Alá aos homens. Os peregrinos realizam sete voltas em torno dela entoando canções a Alá, para finalmente beijá-la.

A primeira mesquita foi construída sob as ordens de Maomé e sucessivas reformas a transformam no maior recinto religioso do planeta com mais de 86 mil metros quadrados, capazes de abrigar cerca de 2 milhões de pessoas.

No seu interior está o poço de Zamzam (abundante), considerado sagrado. Segundo a crença islâmica, ele foi aberto pelo Anjo Gabriel para salvar Agar e seu filho Ismael de morrer de sede no deserto. Milhões de peregrinos visitam o poço a cada ano durante a realização do Hajj e bebem água dele extraída, considerada medicinal.

O segundo local mais sagrado do islamismo é a Mesquita do Profeta, Al-Masjid an-Nabawi, em Medina, cidade para a qual Maomé e os primeiros muçulmanos fugiram em um movimento conhecido como Hégira, e lugar de seu túmulo.

Maomé iniciou a construção da mesquita em 622 que teve a duração de sete meses. Além de centro religioso, funcionava como, escola, centro comunitário e tribunal. A original era um edifício modesto com telhado suportado por madeira de palmeiras e as paredes com uma mistura de de folhas de palmeira e barro. O templo contava com uma plataforma elevada para as pessoas ensinarem o Corão. Com o passar do tempo, os diversos líderes islâmicos continuaram a expandir e a decorar a mesquita.

Jerusalém é o terceiro local sagrado do Islã por se acreditar que foi lá onde Maomé subiu ao céu. No local, no Monte do Templo, foi construída a Cúpula da Rocha, em 690. É um dos sítios mais sagrados do Islã e uma das grandes obras da arquitetura islâmica. A vistosa cúpula dourada é um dos pontos mais emblemáticos da cidade. O santuário, declarado Patrimônio da Humanidade em 1981, foi construído onde teria sido o altar de sacrifícios usado por Abraão, Jacó e outros profetas que introduziram o ritual.

O monte ainda abriga a mesquita Al Aqsa, sobre as ruínas do antigo Templo de Salomão.
Traduzida como “a mesquita distante”, Al Aqsa e alude a uma passagem do Alcorão que descreve uma viagem noturna do profeta Maomé desde Meca à “mesquita distante”. A viagem é conhecida como Isra e embora não seja mencionada Jerusalém, as tradições islâmicas identificaram o local como o Monte do Templo.

Na Palestina, O Túmulo dos Patriarcas é considerado como o centro espiritual islâmico da cidade de Hebron, coração da antiga Judeia. Chamado Haram el-Khalil pelos muçulmanos, que significa “lugar sagrado do amigo de Deus”, e Me-arat Hamachpelah pelos judeus, ou “o túmulo das duplas sepulturas”. Segundo a tradição, guarda as sepulturas de quatro casais bíblicos: Adão e Eva, Abraão e Sara, Isaac e Rebeca, Jacó e Léa.

A Mesquita dos Omíadas, Mesquita de Umayyad ou Grande Mesquita de Damasco está localizada na capital síria, é considerada o quarto lugar mais sagrado para os muçulmanos e guarda lindos mosaicos e minaretes de sua construção original.
Logo após a conquista de Damasco em 636, o califa Ualide I mandou demolir a basílica cristã em honra a João Batista para construir uma grande mesquita que era compartilhada pelos fiéis cristãos e muçulmanos.

A mesquita abriga um santuário no qual acredita-se estar preservada a cabeça de João Batista, que é considerado um Profeta do Islã. Supostamente, a cabeça foi encontrada durante as escavações para a construção da mesquita. É também ali que acredita-se que Isa (Jesus) voltará no Fim dos Tempos. O Mausoléu de Saladino está localizado em um jardim anexo à muralha norte.

Os muçulmanos xiitas consideram sagradas as cidades de Carbala e Najafe, ambas no Iraque. Na primeira, ocorreu o martírio de Hussein, neto de Maomé e dos seus companheiros, quando este contestava o Califado Omíada.

O santuário Imam Reza em Mashhad, no Irã, contém o mausoléu de Imam Reza, o oitavo Imam de Twelver Shiitas. É a maior mesquita do mundo por área. Encontram-se também no complexo a Mesquita Goharshad, um museu, uma biblioteca, quatro seminários, um cemitério, a Universidade Razavi de Ciências Islâmicas, uma sala de jantar para os peregrinos e vastas salas de oração. O complexo é um dos centros de turismo no Irã e tem sido descrito como “o coração do Irã xiita”. Todos os anos, a cerimônia de limpeza do pó é celebrada no santuário.

É necessário chamar a atenção dos turistas não muçulmanos para um detalhe importante: Para visitar parte desses lugares sagrados é preciso seguir a religião islâmica.

Veja também: Lugares Sagrados do Mundo – Parte 2 – Natureza e Lugares Sagrados do Mundo – Parte 1 – Budismo

Ronaldo Cooper
Nasceu em Porto Alegre, é jornalista, roteirista, fotógrafo e editor do blog VisualZine.
visualzine.blogspot.com.br