De onde viemos e para onde vamos? Qual a bagagem, a herança que trazemos do passado e quais os desafios que devemos cultivar para equilibrar nosso carma? Onde nos sentimos presos, acomodados, estagnados? O que é preciso pra nos tirar dessa estagnação?

A Astrologia Cármica pressupõe a existência do processo reencarnatório. Um processo que pra mim não deixa margem de dúvidas. Quero deixar bem claro que esta é a minha visão e qualquer pessoa pode se sentir livre para concordar ou não. Depois de tudo o que li, vivi, aprendi com os Mestres, com a filosofia budista, o Espiritismo e o que tenho vivenciado na Umbanda, reencarnação pra mim é fato. E este caminho dentro do estudo astrológico tem sido um processo natural.

Por exemplo: talentos como o de Mozart ou o de Michelângelo, que podemos exercer espontaneamente sem ter aprendido antes, são usualmente o resultado de um trabalho feito em muitas vidas. As fobias que teimosamente resistem a todas as formas de tratamento psiquiátrico tem suas causas profundamente entranhadas na alma da pessoa. Eventos que detonam estas lembranças na memória da alma fazem com que elas ganhem força nesta presente encarnação.

A Lei do Carma diz que para cada causa há um efeito e vice-versa. Buda nos ensinou que “você é aquilo que pensa, tendo se tornado aquilo que pensou no passado”. Todo pensamento fica impresso na substância eterna do Universo, de forma a se manifestar como um efeito no mundo físico. Às vezes o efeito se produz alguns momentos após sua causa. Outras vezes, no entanto, o efeito somente se manifesta anos após sua causa, tornando-se mais difícil perceber a relação entre ambos.

Cada dia é o resultado do anterior. Cada pensamento é o resultado do pensamento que o precedeu. Cada vida é mais um círculo concêntrico na árvore da vida eterna. Cada experiência de vida ajuda a refinar nosso Ser. Assim é a Lei do Carma: colhemos o que semeamos. Simples assim.

A alma expande continuamente sua consciência através da soma de experiências vividas, até que não seja mais necessário encarnar num corpo físico. Antes do nascimento escolhemos as almas que seriam nossos pais e definimos muitas coisas, a religião na qual seríamos criados, a vizinhança e as doenças, por exemplo. Programamos as experiências de vida que  teremos, incluindo cada caminho escuro possível de tropeçar até encontrar o caminho da verdade.

Embora muitos de nós não tenhamos lembranças  conscientes de vidas passadas, nós não só estamos vivendo os efeitos do que provocamos naquelas vidas como são aquelas mesmas causas que provocaram que nascêssemos todos diferentes uns dos outros. Desafio quem não acredita em reencarnação a explicar por que uns nascem doentes, outros saudáveis… uns nascem na favela, outros em famílias nobres. Acaso?

Na comunidade astrológica atual aceita-se que os Nodos Lunares trazem as principais chaves pro entendimento de cada vida como parte de um tecido contínuo. Muitos astrólogos acreditam que este estudo tem até mais importância do que o resto da carta natal. Pra um bom conhecedor, a interpretação do Sol, da Lua e dos Nodos revelam toda a história da pessoa.

Os Nodos Lunares marcam a diferença entre a astrologia comum e a astrologia espiritual, pois definem as lições cármicas que escolhemos para receber. Representam a relação de causa e efeito através da qual dirigimos as nossas vidas. A posição dos nódulos no mapa nos liga ao passado e indica o caminho do nosso futuro. E neste estudo, encontramos o porquê do resto da carta estar se manisfestando da forma como está.

O Nodo Sul ou Cauda do Dragão:
Simboliza o passado do homem. Não é apenas o símbolo da encarnação passada, mas uma combinação de eventos, idéias, padrões de comportamento, atitudes e pensamentos de todas as encarnações anteriores cujos efeitos acumulados e não resolvidos deram origem à vida atual. São as pegadas que deixamos atrás de nós e apontam um caminho de menor esforço. Raramente paramos para examinar os efeitos de tudo o que criamos, até que estes efeitos apareçam claramente diante de nós.

O Nodo Norte ou Cabeça de Dragão:
É o símbolo do futuro. Representa uma nova experiência ainda não tentada e puxa a alma para o crescimento. Recebemos muita ajuda do Universo para investir nossos esforços aqui. Esta posição nodal é como uma cornucópia cheia de promessas e tesouros, oferecendo um benefício após outro na medida em que cada obstáculo é transformado em ponto de apoio ao futuro crescimento. Simboliza a área de expressão mais elevada a ser atingida na vida atual, onde a cada novo passo nos sentimos melhores e em paz com nossa consciência.

Para quem para quem deseja se aprofundar no assunto, indico  o livro: OS NÓDULOS LUNARES, de Martin Schulman (ed. Ágora).

Sejamos felizes!

Marcelo Dalla
Formado em Comunicação pela ECA – USP. Estuda astrologia há 30 anos, atua profissionalmente como astrólogo no Brasil e em Portugal há 10 anos. Especializado em Astrologia Cármica. Terapeuta Florais de Bach e Xamanismo, também é artista gráfico e criador de mandalas. Publicou em Portugal os livros MANDALAS MÁGICAS e MANDALAS SIGNOS DO ZODÍACO, ambos pela editora Verso de Kapa.
www.marcelodalla.com

COMPARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Seu portal é um show !
    Amando tudo, como moro longe de tudo a internet me conecta com esse mundo, vou até criar um Facebook Marcelo Dalla, pra acompanhar você e a Mônica Souza.
    Vcs são irmãos?

DEIXE UMA RESPOSTA