Passo a passo, a humanidade está aos poucos sendo convidada a voltar à simplicidade, ao básico, ao essencial para a viagem da Alma. A crise, as perdas materiais, o fosso entre o exagero e a baixa qualidade de vida que o mundo vive hoje está a obrigar-nos a RE-valorizar a nossa relação entre o que temos e o que somos.

Seja no trato com os animais, com a Mãe Natureza, com o nosso vizinho, com as nossas escolhas e principalmente conosco próprios, tudo nos traz o convite de “fazermos a coisa certa”. Chegou o tempo de deixar ir o lixo que carregamos dentro e também. Lixo que esconde afinal toda essa simplicidade e capacidade de “fazer a coisa certa”.

A proposta é priorizar o espírito de equipe, a fraternidade, o respeito e a igualdade. Recuperar os valores básicos essenciais à saudável e amorosa interação com os outros. Ou seja, simplesmente criar o mundo que gostaríamos que os nossos filhos habitassem.

Ao mesmo tempo, os velhos esquemas de poder, quem anda perdido da alma e está preso nas manhas do lucro e do ego, tem hoje uma forte oposição e luta não para crescer mas para sobreviver e por isso, está mais forte do que nunca.

Organizações como por exemplo as farmacêuticas, as petrolíferas, os media, os produtos alimentares geneticamente manipulados, os segredos guardados por trás de certas organizações religiosas ou espirituais e toda a “máfia” governamental escondida atrás de postos de serviço público que se serve do cargo para atingir fins pessoais, são cada uma delas uma representação externa, um holograma gigante, uma extraordinária encenação teatral matematicamente estudada, uma macro imagem do nosso micro drama. Uma materialização dos restos energéticos que ainda sobrevivem em nós desde os tempos das nossas trevas e dos quais temos que nos responsabilizar.

De nada nos serve, a nós ou ao mundo, sentarmo-nos à noite em frente ao telejornal e ver o estado deprimente em que o mundo se encontra alimentando apenas a nossa frustração e impotência.

A Sabedoria Antiga lembra-nos que, “O que está fora é igual ao que está dentro e o que está em cima é igual ao que está em baixo.”

Com o respectivo entendimento da profundidade desta afirmação, cabe assim a cada um de nós a responsabilidade de irmos curando as nossas feridas que reconhecemos lá fora até que já não precisemos do espelho.

Sabendo que tudo é energia, apenas temos que ir fazendo as respectivas correspondências e simbologias tal como nos seguintes exemplos:

  • Quando vires uma criança ignorada ou maltratada, pensa em que estado está a tua própria criança interior.
  • Quando vires empresas cegas com lucro a manipular os alimentos, lembra as fortunas que gastamos em alimentos cheios de químicos e gordura com que alimentamos o corpo.
  • Quando vires as atrocidades que ainda se cometem com animais, pergunta-te qual foi a última vez que agradeceste ao espírito do animal que comeste ou quando foi que te permitiste amar e ser amado por um.
  • Quando perceberes que toda a fortuna mundial está na mão de meia dúzia de pessoas no mundo inteiro, lembra como sobrevalorizamos os caprichos egoístas do nosso ego.
  • Quando te chocas com a quantidade de drogados e alcoólicos no mundo, reconhece onde na tua vida andas a alimentar ilusões e és incapaz de te libertares do que te prejudica.
  • Quando te entristeces com a maneira como são tratados os velhos da nossa sociedade, pensa como tu próprio abafaste a tua sabedoria interior em troca da opinião dos outros.
  • Quando realizares que as farmacêuticas ganham mais com a nossa doença do que com a nossa cura, reconhece que perdeste a Fé no processo de cura pelas plantas, de auto cura e da comunicação sutil com o auto equilíbrio do corpo físico.
  • Quando vemos empresas que secretamente descarregam petróleo para os oceanos, lembra que também o nosso oceano emocional está carregado de lixo, lixo esse que insistimos em manter secreto também.
  • Quando observas os comportamentos violentos dos ditadores do mundo, lembra quando e como abdicaste do teu poder pessoal e deixaste de seguir a voz interior que te lembra o que está certo e errado?
  • Quando vemos os números dos milhões de lucro anuais dos sistemas bancários, analisa em que estado anda a tua valorização pessoal, o que tens feito por ela e ao que afinal dás valor na tua vida?
  • Quando sentires a frieza com que as finanças te cobram e controlam, lembra como exiges demasiado e és implacável contigo próprio e com os outros?
  • Quando somos inundados com noticias convenientemente distorcidas e nos hipnotizamos com informação sem Alma, profundidade ou Sabedoria, não é afinal isso que estamos a fazer com a nossa própria Alma?
  • Quando comparamos o ordenado de um professor ao ordenado de um jogador de futebol, claramente estamos a defender e a alimentar um sistema que nos mantêm competitivos e ignorantes em vez de cooperantes e sábios.
  • Quando nos sentimos desiludidos perante os fechados dogmas religiosos, temos que lembrar onde foi que nos desligamos da Fonte e duvidamos da nossa essência de Luz.

Aos olhos desta teoria, desta visão energética e espiritual da vida, cada aspecto da nossa realidade deve então ser minuciosamente analisado. Cada movimento a que damos início, cada palavra e respectiva carga, vai criar ondas energéticas que serão manifestadas na matéria algures no tempo. Pensemos então na responsabilidade que temos de emanar uma energia que crie um mundo em que queiramos viver.

A boa noticia é que nem tudo é mau e feio. Nem tudo é sombra e trevas. E em última análise a Luz, a verdade e o Amor irão prevalecer.

A nossa vida está cheia de manifestações maravilhosas, retornos de escolhas com amor que fizemos no passado e que agora se revelam na nossa realidade, como pequenas flores espalhadas num imenso campo. Cada uma delas, uma escolha passada já feita com amor. Cabe-nos a nós continuar a semear, confiar no processo e nos mantermos conscientes da energia que continuamente estamos a emanar para a matriz.

  • Sempre que reconhecemos a qualidade dos amigos que atraímos, ativamos a energia da fraternidade e amizade no mundo.
  • Sempre que alguém nos trás o recado do nosso potencial, ativamos a lembrança da nossa missão espiritual.
  • Sempre que sorrimos para os gestos de amor que tantos nos fazem chegar, reforçamos a energia do amor no mundo.
  • Sempre que nos lembramos e agradecemos o fato de termos um teto, comida, cama, livros, roupa, saúde, ativamos a gratidão no mundo.
  • Sempre que investimos em nós, no nosso crescimento pessoal e nos responsabilizamos pelo nosso caminho, outros na mesma matriz irão ativar essa responsabilidade nas suas células.
  • Sempre que temos um ato de carinho e respeito para com um animal ou com a Natureza, ativamos essa energia, os animais no Planeta inteiro agradecem.
  • Sempre que nos permitimos sentir as nossas dores e permitimos que elas se libertem, estamos a levar esse ato à matriz para facilitar essa libertação a todos.
  • Sempre que conseguimos resistir a batalhas egóicas que nos roubam a Luz, iluminamos o Universo mais um pouco.
  • Sempre que vivemos a nossa Verdade, temos a coragem de ser quem realmente somos, estamos a inspirar e a autorizar outros a fazer o mesmo.
  • Sempre que nos respeitamos, valorizamos, amamos e conseguimos agir a partir da Alma, a matriz irá levar essa energia ao todo.
  • Sempre que nos rendemos, deixamos fluir, confiamos na inteligência do Grande Espírito, estamos a abrir canais por onde a Luz pode entrar.

Seja uma escolha insignificante e pessoal, privada ou secreta, nobre ou egoísta, violenta ou pacífica, ela está a ser registada numa invisível rede energética, numa matriz que nos liga a todos. Mais do que ajudar a manifestá-la, vai pela Lei do Retorno, fazer voltar a mesma energia à fonte que a criou.

  • Sempre que nos perdemos e iludimos nos esquemas do ego, alimentamos as trevas.
  • Sempre que investimos no nosso equilíbrio interior e agimos com Amor, o Universo agradece.

Tão simples. Tanta resistência para acreditar e por em prática.

Há milênios que andamos a viver o molde da culpa, da desresponsabilização pessoal, da mentira e principalmente da ignorância quanto ao funcionamento energético da nossa realidade. As culturas antigas que ainda falavam esta linguagem e nos lembravam a nossa responsabilidade individual sobre o coletivo, foram sendo abafadas e engolidas pelo mundo moderno, pela ciência e por todos os abusos de poder nas mais variadas áreas. Tal como uma doença silenciosa, esse movimento foi criando uma humanidade adormecida, impotente, frustrada, medrosa, altamente influenciável, acreditando-se incapaz de fazer algo que possa mudar o mundo.

Mudamos de século, já estamos a viver o novo tempo previsto pelos Maias pós 21-12-2012, estamos já na nova Era de Aquário. Chegou o Tempo de mudar internamente também…

O estado do mundo prova bem que a fórmula que temos aplicado não funciona. Não temos nada a perder em aplicar uma nova fórmula certo? É uma fórmula que corre o risco de ser gozada ou subvalorizada pelo ego, mas que sei que irá vibrar e fazer sentido com a Alma de cada um…

Vamos então tirar as nossas varinhas dos baús para que possamos cada um de nós, no seu pequeno cantinho interior e exterior, poder fazer magia à sua volta!

Bem Hajam!

Vera Luz
Autora e Terapeuta de Regressão e Orientação Espiritual. Tem vários livros publicados em Portugal, um deles no Brasil e desde 2001 trabalha para relembrar a cada um o propósito por trás dos eventos da vida. Desvendar a história cármica que cada um carrega é essencial para uma vida consciente e abundante.
veraluz@veraluz.pt

COMPARTILHAR