Pois bem, como falei no artigo da semana passada, depois de visualizar o que se quer, escolher um modelo, focar com propósito e concentrar na etapa final, geralmente conseguimos alcançar um objetivo.

Certo? Costuma dar certo, mas muitas vezes dá errado. E aí seguem algumas razões. Uma delas está na zona de conforto, que infla o ego e leva a pessoa a esquecer tudo o que precisou fazer para chegar lá. Isso é muito comum em dietas, por exemplo.

Outra hipótese está na capacidade do ser humano acreditar mais no outro do que em si mesmo. Basta um comentário, uma negativa ou uma opinião que o arco íris perde a cor e a vida volta a ficar cinza.

Indo além, é comum verificar como temos uma tendência a nos sabotar. Basta um momento feliz e já ligamos o radar, imaginando que algo ruim pode ocorrer. Já imaginamos tragédias, negativas e tristezas.

Para combater todo esse estado de coisas e curtirmos o topo da montanha, onde devemos sentir a brisa da conquista, imaginar o próximo passo ou vôo, curtir a sensação boa da recompensa, tenho uma palavra: CORAGEM.

Sim, é a coragem que diferencia um vitorioso de um derrotado. A distância que separa um do outro, muitas vezes é milimétrica. Basta uma respirada, uma postura altiva, um pensamento firme, um propósito.

O que move o corajoso não é a opinião alheia, nunca será a vontade de agradar alguém, mas o ímpeto de ir além, com as próprias forças e firme vontade. Coragem vem de coração, ou seja, vem da verdade de ser quem se é.

Quanto mais entendermos que devemos ser verdadeiros, mais venceremos.

Carla Brandão
Comunicadora por opção. Jornalista por profissão. Especialista em desenvolvimento humano por vocação. Pensamentos transformadores, evolução e treinamento. Visão divertida sobre automotivação, administração do tempo, melhoria contínua e inovação. Life Coach e Palestrante com foco na transformação da vida em uma fonte de aprendizado e felicidade!
email: carla@acommunica.com.br

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA