Olá, amigos!

Decidi reunir nessa postagem respostas a dúvidas frequentes sobre Astrologia e Horóscopos, vindas de clientes, amigos e jornalistas. Perguntas como: “o que é inferno astral?”, “o que é mapa astral?” e “o que significa ascendente?”. Espero que assim fique mais fácil esclarecer a todos.

O que são os signos?
O nosso signo é definido pela posição do Sol no mapa astrológico. Expressamos nossa individualidade, nossa essência, através das qualidades do signo solar. Mas não somos apenas o signo solar, para nos conhecermos melhor e compreendermos nossos potenciais, considero importante conhecer nosso mapa astrológico natal (o mapa da hora em que nascemos) como um todo.

O que é o inferno astral?
O ciclo do Sol tem um ano de duração. Na data de nosso aniversário, o Sol completa uma volta inteira pelas constelações zodiacais e faz conjunção com o Sol do nosso mapa natal. Acontece a famosa Revolução Solar, quando recebemos nossa injeção de ânimo, vitalidade, energia, brilho e confiança. Podemos então começar novos projetos, sair, fazer contatos, mostrar o nosso melhor.

O período de um mês que antecede nosso aniversário é o final de um ciclo solar. É um período de cunho mais introspectivo, ideal para conclusão de assuntos, recolhimento, descanso (nossa energia tende a cair). Apelidaram esse período de “inferno astral”. Cá entre nós, é um título muito radical e negativo, prefiro evitar.

O que significa ascendente?
O Ascendente é marcado pela hora do nascimento, marca o início da primeira casa do mapa astrológico. É o signo que se erguia no horizonte no momento do nosso nascimento. É como nosso cartão de visitas: Traz pistas sobre o aspecto físico, a “máscara” exterior (tanto física, como emocional e intelectual), alguns hábitos e maneirismos pessoais. A forma como nos mostramos ao mundo e como o mundo nos vê. A primeira impressão que causamos e a forma como iniciamos as coisas.

É verdade que o ascendente depois dos 30 anos é dominante?
Muita gente me faz essa pergunta e até hoje não descobri de onde surgiu essa lenda. Não encontrei explicação astrológica pra isso em nenhum livro sério de astrologia. Tome como base a resposta da pergunta anterior e entenderá que isso não faz sentido.

Por que todo mundo fala que Mercúrio Retrógrado é ruim? O que ele significa?
Mercúrio fica retrógrado em média 3 vezes por ano, durante 3 semanas. Mas é o propósito destas retrogradações não é frustrar e irritar ninguém. É nos ajudar a trabalhar a clareza nos intercâmbios, nas trocas de informação. Ajudar-nos a rever posturas rígidas, ideias obsoletas, reprogramar pensamentos negativos, rever e revisar projetos, concertar equipamentos, aprimorar negociações.

Mercúrio rege o pensamento e a forma como nos expressamos. Rege tudo o que comunica também. Todas as facetas da experiência de vida que nos permite comunicar, processar, receber e assimilar conteúdos. Quando fica retrógrado, sempre pede revisões em ideias, pensamentos, informações, sobre a forma como nos comunicamos, como nos deslocamos, como promovemos negociações e intercâmbios. Há momentos em que nosso processo de pensamento é mais reflexivo e interno. Este é o caso!

O que é o mapa astral e como ele pode ajudar na vida da pessoa?
É uma “fotografia” tirada do céu no exato momento do nascimento. A posição dos planetas nos signos e a configuração que se dá entre eles traz preciosas informações a respeito da personalidade e da dinâmica do nativo, tais como:

Bloqueios psíquicos, potencialidades, dificuldades e facilidades internas e externas nas áreas: profissional, financeira, afetiva, sexual, intelectual, social, familiar, no campo das amizades, da saúde, da comunicação, do lazer, da filosofia de vida, da espiritualidade, dos objetivos de vida. A herança cármica, o propósito de vida e da tarefa de serviço, da sua missão pessoal.

É um instrumento, amplo e profundo de autoconhecimento, que possibilita a expansão da consciência. Por meio do mapa astral obtemos informações a respeito do funcionamento do indivíduo nos níveis: físico, emocional, mental e espiritual.

É importante esclarecer que o mapa astral não serve para prever o futuro, nem é estático. O que fazemos é uma leitura das tendências, das energias atuando em uma determinada fase da vida da pessoa. Em outro momento, a interpretação será diferente. Por esta razão é que a leitura do mapa astral, para ser mais precisa e profunda, deve ser feita na presença do cliente.

Depois de 36 anos sob regência do Sol, desde 20 de março, estamos sob uma nova era astrológica. A era de Saturno, que vai durar outros 36 anos. O que isso significa? De que forma isso impacta nas nossas vidas?
Sim, alguns astrólogos afirmam que um novo ciclo de 36 anos terá início e será regido por Saturno. Mas de onde vem essa informação?

Este é um legado dos Magos e Astrólogos Caldeus. Um conhecimento de astrologia muito antigo, que vem antes mesmo da compreensão dos 12 signos. Tanto a regência anual dos planetas, quanto do ciclo de 36 anos tem por base a estrela dos magos de 7 pontas. Esta é inclusive a origem dos dias da semana, um para cada planeta. Esse conhecimento também está presente em correntes de Astrologia Cabalística.

Cada ciclo de 36 anos corresponde a uma ponta da estrela. Para os Caldeus, um ciclo de 36 anos regido por um determinado planeta, tem o primeiro e o último ano regido pelo mesmo planeta regente de todo ciclo.

Se Saturno for mesmo o regente de 2017 e deste novo ciclo de 36 anos, teremos pela frente um período em que as qualidades do planeta serão ainda mais importantes: comprometimento, responsabilidade, disciplina, empenho, economia de recursos, maturidade, clareza de metas, determinação, profissionalismo, seriedade.

Já que falamos de Saturno, sejamos realistas: basta olhar para o que acontece com a humanidade nestes tempos de intensas transformações, quando somos chamados a acordar, despertar. Quem está a par da grande transição para a ERA DE AQUÁRIO (Saturno inclusive é um dos regentes de Aquário) sabe que agora, mais do que nunca, é preciso que cada um assuma a responsabilidade por sua própria colheita.

SOBRE HORÓSCOPOS:

Na hora de construir a previsão, o astrólogo observa tanto a movimentação dos astros no signo quanto no ascendente?
Depende do astrólogo. No meu caso, eu me baseio mais pelo signo solar e também pelos ciclos astrológicos que afetam a todos, independentemente do signo, como os ciclos lunares, por exemplo.

Quais são os principais fatores que influenciam nas previsões de cada signo? Quando o horóscopo vai construir a previsão, o que ele observa no posicionamento dos astros, planetas etc? E o que cada um deles diz sobre cada signo?
Baseio-me na posição dos planetas regentes de cada signo e nos aspectos que eles fazem com os outros planetas. Cada signo tem um planeta regente (alguns signos possuem até dois). Em seu caminhar pela roda astrológica, os planetas se comportam de forma diferente, suas influências ficam mais fortes ou mais fracas, por exemplo. Esse caminhar indica tendências para os signos de suas respectivas regências.

Quando lemos o horóscopo, sempre há informações sobre a posição da Lua no céu. No que ela interfere, dependendo do signo em que transita?
Como já disse, também me baseio muito pela posição e fase da Lua, que indica o clima geral, o “mood” do período. A Lua é rápida, fica em média dois dias em cada signo, por isso nosso dia a dia é marcado pelo seu caminhar e pelos aspectos que nosso satélite forma com os outros planetas.

Além das tendências que ela ressalta em cada signo no nosso dia-a-dia, temos também as influências das fases lunares. Por exemplo: a Lua nova marca um ponto de partida, novos inícios, quando viramos a página para novos assuntos e podemos estabelecer novas intenções. A Lua cheia é um período de transbordamento emocional, marca o ápice de muitas situações. A Lua minguante é um período ideal para finalizações, mais introspectivo.

Todos os planetas são importantes para as previsões dos signos? Ou apenas o movimento do planeta regente de cada signo?
Os aspectos entre os planetas mais lentos (conjunções, trígonos, oposições, quadraturas) marcam longos períodos e costumam afetar o inconsciente coletivo. Quando a Lua toca estes planetas, ela reforça suas influências no nosso cotidiano. Isso afeta a todos nós, mas principalmente os signos que estes planetas regem, ou ainda se esses planetas tocam pontos importantes em nosso mapa natal.

Cabe lembrar que as previsões dos horóscopos falam de tendências gerais. Para um estudo mais minucioso, é importante consultar um astrólogo de confiança, que vai analisar as tendências de forma mais específica.

Cada planeta tem uma função específica? Pode falar, resumidamente, sobre a influência de cada planeta no horóscopo?
É um assunto que rede um livro, muitos livros… difícil resumir. Poderia sim falar sobre as características de cada planeta, os assuntos que eles regem. Mas isso vale mais para o estudo do mapa astrológico natal e para os trânsitos astrológicos específicos de cada pessoa. O movimento dos planetas mais lentos, como já disse, influenciam o inconsciente coletivo.

Exemplos:
A palavra-chave para Júpiter é expansão. Ele expande as qualidades do signo por onde transita e traz oportunidades.
Saturno fala de limite, responsabilidade, restrição. Ele pede mais comprometimento nos assuntos relativos ao signo onde transita.
Urano é o revolucionário, que traz mudanças, reviravoltas, imprevistos e libertações, pedindo renovação nos assuntos relativos ao signo onde transita.
Netuno fala de temas transcendentais, ele dissolve o ego e nosso empurra pro amor Universal. Desde 2012 Netuno está bem forte, pois transita em Peixes, signo de sua regência.
Plutão é o grande transformador, destruidor e regenerador. Ele transita já por alguns anos em Capricórnio, pedindo grandes transformações em nossas instituições e nos assuntos relativos ao poder.

SOBRE O BOATO DA MUDANÇA DE SIGNOS

Nada mudou. Signos e constelações não são a mesma coisa. A Astrologia lida com símbolos e continua a mesma, os signos são os mesmos, está tudo igual. Os astrônomos não tem nada que dar palpites na Astrologia, se não a compreendem… esse boato inclusive é antigo, veio à tona de novo na semana passada.

Para maiores esclarecimentos, recomendo a leitura do excelente artigo de meu amigo e colega astrólogo Antonio Rosa em seu blog COVA DO URSO – aqui.

Sejamos felizes!

Marcelo Dalla
Formado em Comunicação pela ECA – USP.
Estuda astrologia há 30 anos e atua profissionalmente como astrólogo no Brasil e em Portugal há 10 anos.
Especializado em Astrologia Cármica, Terapeuta Florais de Bach e Xamanismo. Artista gráfico e criador de mandalas.
Publicou em Portugal os livros MANDALAS MÁGICAS e MANDALAS SIGNOS DO ZODÍACO, ambos pela editora Verso de Kapa.
Mantém uma coluna diária de astrologia no portal ASTROCLICK e coluna semanal no site
www.marcelodalla.com
COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA