Ao longo dos anos, percebi que as pessoas que são tidas como fortes, líderes, cheias de personalidade não só geram admiração, como medo.

O comandante do navio, do avião e da empresa são respeitados, mas também separados naturalmente. Creio que isso tenha algum fator no inconsciente, visto que a maior parte das pessoas não tem comando sobre a própria vida e preferem ter como hino a música “deixo a vida me levar”.

Fato é que somos MENTE e é o que colocamos nela que nos leva para qualquer ponto. Se inserirmos metas e dermos comandos, certamente, chegaremos onde foi estipulado. Aí imagino você, do outro lado da tela, questionando a veracidade disso. Eu completo: para funcionar é preciso ter fé ativa, ou seja, certeza. Para dar certo é preciso ter não resistência, não se abater em algum susto no caminho e perseverar.

A forma de fazer um pedido é parecida com o jeito como, naturalmente, as crianças fazem: insistente, contundente, cheio de vontade. A criança pede achando que vai ganhar.

Eu não ganhei tudo na infância e aposto que você também não. Como lidamos com os NÃOs diz muito sobre como somos hoje. Mas, não importa como foi nossa história, a vida te levará, de agora em diante, para onde VOCÊ imaginar e determinar.

Aprendi, de diversas formas, que querer é poder, apesar de parecer uma simples frase de efeito. A distância entre o querer e o conquistar está no que anexamos ao pedido. Para dar certo, é preciso que venha com uma dose enorme de vontade, livre de dúvidas, cheia de uma certa ingenuidade típica das crianças.

Também se faz necessário ficar claro que todo pedido genuíno não pode beneficiar uma pessoa e destruir ou prejudicar o próximo. Por fim, o poder está muito associado a status e ao ego e à arrogância. Quando o objetivo final é do merecimento da pessoa e já há um agradecimento prévio, através do exercício da fé ativa, tudo dá certo.

O problema é que complicamos tudo ao longo da vida, colocando comparações, rancores, perdas, traumas e muitos outros sentimentos que só atrasam o pedido. Pedir e ganhar se ligam pelo simples fato de acreditar. Isso explica muitas coisas que vemos ao nosso redor. Os pais, familiares e educadores podem começar a mudar a forma de guiar as crianças. Ao invés de cobrar, incentivar. No lugar de apontar e comparar, dar a mão e mostrar o caminho.

A vida é individual e o respeito ao gosto, às vontades e aos desejos deve ser um fato, moderado apenas pelo bom senso. Assim, cresceríamos todos, menos amedrontados e mais confiantes nas regras básicas da vida.

Seja um comandante firme de sua vida, com a mente focada, inabalável e cheia de vontade. Lembre-se, todos os dias, a vida é um uber, e é preciso dizer o destino para ela te levar!

Carla Brandão
Comunicadora por opção. Jornalista por profissão. Especialista em desenvolvimento humano por vocação. Pensamentos transformadores, evolução e treinamento. Visão divertida sobre automotivação, administração do tempo, melhoria contínua e inovação. Life Coach e Palestrante com foco na transformação da vida em uma fonte de aprendizado e felicidade! Autora do livro #DoeCoragem – Manual Divertido de Viver o Agora.
email: carla@acommunica.com.br

COMPARTILHAR