Um ciclo astrológico tem início com a conjunção (separação de 0º entre dois planetas). No caso do ciclo Saturno-Plutão, dura cerca de 40 anos. O encontro tem uma duração muito ampla. Ocupa um período de cerca 2 a 3 anos, pois conta com as retrogradações, os diversos encontros e aproximações que os planetas fazem entre si.

Essa grande conjunção já se forma durante o ano de 2019, ficará mais forte no final do ano. A conjunção exata se dará em janeiro de 2020 aos 22° de Capricórnio. Portanto, manifestará seus efeitos mais expressivos no início do próximo ano.

É um divisor de águas! Esse encontro será um marco para as estruturas de poder, as instituições, os regimes de governo. A combinação entre esses 2 titãs é a mais poderosa energia de quebra de velhas estruturas. Isso vale para questões políticas, econômicas e ambientais, já que seguem num signo de Terra.

O antigo ciclo Saturno-Plutão teve início com a conjunção de 1982 no signo de Libra. Passou por três picos importantes: uma quadratura em 1993, uma oposição em 2001 e outra quadratura de 2010. Um período que vai então de 1982 até 2019 e que está prestes a terminar. A conjunção de 2020 em 22° de Capricórnio inicia um ciclo que vai terminar somente no início da década de 50 do século XXI, com a conjunção de Saturno e Plutão em Peixes.

Palavras ligadas a Saturno-Plutão:

Perda – força de pressão – medo do futuro – medo do fracasso – O medo do “escuro” – negatividade – esconder / enterrar a cabeça na areia – crise – retração – restrição – retirada – recessão – depressão – trabalho árduo – cavar mais fundo – enfrentar os seus ‘demônios’ – conscientização e transformação – encontrar o caminho através da alma – assumir a responsabilidade – pedir ajuda.

Saturno rege os ossos, as estruturas, os alicerces, as muralhas, os chefes, e as hierarquias de poder. É o senhor do carma, traz a colheita que vem com o tempo. Plutão é o senhor do submundo, rege as forças de transformação e aniquilação do que está doentio. Quando esses dois planetas se encontram, estruturas rígidas e desnecessárias podem desmoronar.

Tudo indica que já não será mais possível dar continuidade ao que não vem funcionando. Chegamos à exaustão em muitos setores, tudo o que segue fora de um modelo sustentável, responsável, competente e coerente, tende a ruir. É preciso cultivar austeridade, reduzir desperdícios, otimizar recursos, investir em reaproveitamentos e reciclagens. Esta combinação não sugere abundância. Pelo contrário, pede economia.

O escritor, professor universitário e astrólogo Richard Tarnas, no seu livro “Cosmos and Psyche”, (Pg.210), resume o ciclo Saturno-Plutão do seguinte modo:

“Os alinhamentos do ciclo de Saturno-Plutão coincidem com períodos históricos especialmente desafiadores, marcados por uma qualidade fundamental da contração intensa: épocas de crises e conflitos internacionais, a capacitação das forças reacionárias e impulsos totalitários, organizando a violência e a opressão, todas as vezes marcado por duradouro efeitos traumáticos. Uma atmosfera de gravidade e tensão… um sentimento generalizado de encerramento de época: “o fim de uma época “, “o fim da inocência”, a destruição de um modo de vida anterior que, em retrospectiva, pode parecer ter sido marcada pela indulgência generalizada, ingenuidade, negação e inflação. Profunda transformação foi um tema dominante… através da contração, a reação conservadora, crise e término.” (Tradução do querido e saudoso mestre António Rosa)

Por tudo isso, podemos assistir a um fechamento de barreiras, defesa e controle. Esse encontro aconteceu no pós-guerra, nos anos 1946/48, quando houve grande esforço para reconstrução dos países devastados pela guerra, além da consolidação de uma linha dura de governo em vários países. Coletivamente pode haver restrição da liberdade por causa de um sentimento de ameaça, seja devido a fatores reais ou imaginários. Mas esse recrudescimento evidencia justamente o que precisa ser transformado.

Decidi escrever esse artigo porque tivemos um eclipse lunar no eixo Câncer/Capricórnio no dia 16/07 conjunto a Plutão, que ativou essa conjunção. No dia 10 de janeiro de 2020 teremos outro eclipse lunar conjunto a estes planetas, que estarão em conjunção exata! É um orquestração perfeita, que evidencia a necessidade de consciência.

Individualmente, o que podemos fazer?

Perceber o que não funciona mais. Esta é uma excelente oportunidade de encerrar o que não tem mais sentido em nossas vidas. Estejamos todos cientes de questões inacabadas ou não resolvidas que pedem por desfechos, diagnósticos e curas.

Pra quem conhece seu mapa, caso tenha planetas em torno de 20-25° nos signos cardinais (Áries, Câncer, Libra, Capricórnio) poderá intuir com mais intensidade essas transformações e limpezas.

É tempo de reconstruir estruturas, de buscar soluções, de eliminar o que prejudica nosso crescimento e nossa evolução. Para nos ajudar, durante todo o ano Saturno 2019 também segue em harmonia com Netuno em Peixes. Ficamos mais inspirados para vencer as dificuldades. É provável que venhamos a descobrir a cura para doenças, novas terapias podem surgir. Podemos evitar ou abandonar projetos inviáveis. Justamente por causas das dificuldades coletivas, ganha quem investir no desenvolvimento espiritual, nos projetos humanitários, na solidariedade, no trabalho voluntário.

Sejamos felizes!

Leia também:
PLUTÃO RETRÓGRADO DE 24/04 A 3/10/19
SATURNO RETRÓGRADO DE 29/04 A 18/09/19

Marcelo Dalla
Formado em Comunicação pela ECA – USP.
Estuda astrologia há 30 anos e atua profissionalmente como astrólogo no Brasil e em Portugal há 13 anos.
Professor de Astrologia, especializado em Astrologia Cármica. Terapeuta Florais de Bach e Xamanismo. Artista gráfico e criador de mandalas.
Publicou em Portugal os livros MANDALAS MÁGICAS e MANDALAS SIGNOS DO ZODÍACO, ambos pela editora Verso de Kapa.
Criador do ASTROCLICK. Mantém coluna semanal no @naturavibe e diária no portal IG. Blog: www.marcelodalla.com

COMPARTILHAR