A Pinacoteca do Estado de São Paulo apresenta sua primeira exposição do calendário de 2018, “Hilma af Klint: Mundos Possíveis”. É a primeira vez na América Latina que é realizada uma mostra individual da pintora sueca, cujo trabalho agora é reconhecido como pioneiro da arte abstrata e que reflete conexões espiritualistas, praticamente despercebido durante grande parte do século XX.

Hilma af Klint – 1862 – 1944

A artista frequentou a Real Academia de Belas Artes, em Estocolmo, mas logo se distanciou das regras acadêmicas para pintar mundos invisíveis, influenciada por movimentos espirituais como o Rosa-cruz, a Teosofia e a Antroposofia.

Hilma af Klint era uma mulher enigmática, que viveu de maneira simples e ascética. Solteira, não seguindo os padrões de sua época, e trabalhava com intensidade e rigor, sendo completamente devota ao que considerava ser sua missão: revelar mensagens do mundo espiritual através da arte.

Ela integrou o grupo artístico “As Cinco”, composto por artistas mulheres que acreditavam ser conduzidas por espíritos elevados que desejavam se comunicar através de imagens e experimentavam, desde o final do século 19, a escrita e o desenho automático, antecipando as estratégias surrealistas em mais de 30 anos.

O trabalho espiritualista de af Klint foi exposto pela primeira vez em 1986 na mostra “The Spiritual in Art: Abstract Paintings 1890–1985”, realizada no Los Angeles County Museum of Art. Depois foi montada uma grande retrospectiva organizada pelo Moderna Museet de Estocolmo em 2013, apresentada também na Alemanha, Espanha, Dinamarca, Noruega e Estônia e permitiu que o trabalho da artista suéca fosse reconhecido internacionalmente pelo grande público.

Hilma af Klint deixou mais de 1.200 pinturas, 124 cadernos de notas e desenhos em mais de 26.000 páginas manuscritas e datilografadas e a exposição apresentada no Brasil inclui 130 obras. Destaque para a série intitulada “As dez maiores”, realizada em 1907 e hoje considerada uma das primeiras e maiores obras de arte abstrata no mundo ocidental, já que antecede as composições não figurativas de artistas contemporâneos como Kandinsky, Mondrian e Malevich.

Além deste conjunto, a exposição em São Paulo conta com algumas séries de obras que nunca foram apresentadas ao público. “Hilma af Klint: Mundos Possíveis” permanece em cartaz até 16 de julho de 2018.

Serviço:
Exposição: Hilma af Klint: Mundos Possíveis
Local: Pinacoteca do Estado de São Paulo
Quando: De quarta a segunda-feira, das 10h00 às 17h30 – com permanência até às 18h00.
Ingressos: R$ 6 (inteira) e R$ 3 (meia). Crianças com menos de 10 anos e adultos com mais de 60 não pagam. Aos sábados, a entrada é gratuita para todos os visitantes.

Ronaldo Cooper
Nasceu em Porto Alegre, é jornalista, roteirista, fotógrafo e editor do blog VisualZine.
visualzine.blogspot.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA